14 janeiro 2020

Roger Scruton, um Conservador, morre aos 75 Anos


O filósofo britânico Roger Scruton morreu em 12 de janeiro de 2020. Segundo a família, ele enfrentava um câncer, diagnosticado há seis meses. Ex-conselheiro do governo britânico e autor de mais de 30 livros, Scruton se tornou o principal ponto de referência do pensamento conservador em todo mundo. Pode-se dizer que Roger Scruton, juntamente com Edmund Burke e outros expoentes do pensamento inglês, lançaram os alicerces das sociedades denominadas livres.

Roger Scruton escreveu muitas obras, mas a essência de suas ideias fundamenta-se no conservadorismo. No prefácio de seu livro "Como Ser um Conservador", afirma que há dois tipos de conservadorismo: um metafísico e outro empírico. O primeiro consiste na crença das coisas sagradas e o desejo de defendê-las da profanação; o segundo, o empírico, é um fenômeno moderno, uma reação às mudanças desencadeadas pela Reforma e pelo Iluminismo.

Numa entrevista, o repórter indagou: o que é um conservador? Sua resposta: conservadores são pessoas que estão cientes do fato de que herdaram algo bom: uma ordem social, um sistema político, uma cultura e uma tradição jurídica; e eles querem permanecer com isso. Em outras palavras, querem conservar coisas.

Eis algumas de suas frases:

"O conservadorismo advém de um sentimento que toda pessoa madura compartilha com facilidade: a consciência de que as coisas admiráveis são facilmente destruídas, mas não são facilmente criadas."

"Pessoas de esquerda acham muito difícil conviver com pessoas de direita, porque acreditam que elas sejam o mal." "Eu, do meu lado, não tenho problema nenhum em me dar bem com elas, porque simplesmente acredito que estão enganadas".

"A tradição da esquerda é julgar o sucesso humano pelo fracasso de alguns. Isso sempre lhe oferece uma vítima a ser resgatada. No século XIX eram os proletários. Nos anos 60, a juventude. Depois as mulheres e os animais. Agora o planeta."

"O processo de transmissão cultural não poderá sobreviver se os professores forem obrigados a ensinar Mozart e Lady Gaga ao mesmo tempo, em nome de uma agenda de igualitarismo."

28 dezembro 2019

Fascismo e Comunismo

A origem do fascismo e do comunismo está em seus manifestos.

O Manifesto Fascista foi proclamado em 1919 por Alceste De Ambris e Filippo Tommaso MarinettiSeus autores defendiam:
  • Implantação de um salário mínimo estipulado pelo governo e de uma jornada de trabalho de apenas oito horas diárias;
  • Que os trabalhadores tivessem representantes no alto escalão administrativo das indústrias e que os sindicatos tivessem o mesmo poder decisório que os executivos do setor industrial e os funcionários públicos;
  • Um imposto de renda progressivo (alíquotas mais altas para quem ganhasse mais), seguro-invalidez bancado pelo estado, e outros tipos de benefícios sociais, além da redução da idade de aposentadoria;
  • O confisco da propriedade de todas as instituições religiosas, bem como a estatização da indústria de armas;
  • Um pesado imposto progressivo sobre os lucros e os ganhos de capital com o intuito de expropriar uma fatia de toda a riqueza dos capitalistas.
Em 1922, Benito Mussolini ascendeu ao poder na Itália, e aplicou grande parte deste programa fascista que havia sido proclamado no Manifesto alguns anos antes.

Manifesto do Partido Comunista, escrito por Marx e Engels, e publicado em 1848, revela a semelhança entre fascismo e comunismo. 10 eram as medidas necessárias para que um país se tornasse socialista. Dentre elas:

  • Imposto de renda fortemente progressivo;
  • Centralização do crédito nas mãos do Estado, por meio de um banco nacional com capital do Estado usufruindo monopólio exclusivo;
  • Centralização, nas mãos do Estado, de todos os meios de comunicação e transporte;
  • Unificação do trabalho agrícola e industrial com o objetivo de eliminar gradualmente o contraste cidade e campo;
  • Educação gratuita para todas as crianças nas escolas públicas, eliminação do trabalho infantil nas fábricas em sua forma atual, e unificação da educação com a produção industrial.
Todos estes itens foram implantados pelos fascistas.

Ainda de acordo com o Decálogo Comunista, os itens que faltavam para que o socialismo pleno fosse alcançado sob o fascismo eram:

  • Expropriação da propriedade sobre a terra e aplicação de toda a renda obtida com a terra nas despesas do Estado. (Item 1)
  • Confisco da propriedade de todos os emigrantes e rebeldes. (Item 4)
  • Trabalho obrigatório para todos. Criação de exércitos industriais, em especial para a agricultura. (Item 8)


23 dezembro 2019

Jeffrey Tucker e a Narrativa da Esquerda

Jeffrey Tucker, Diretor-Editorial do American Institute for Economic Research, em artigo no Instituto von Mises do Brasil (https://www.mises.org.br/article/3198/os-ultimos-dias-da-esquerda) diz: 

"Se toda a sua ideologia se resume a dizer às pessoas que elas devem confiar no governo e devem acreditar que ele fará coisas gloriosas, você está encrencado".

"As ideologias que defendem o controle estatal, além de serem insustentáveis, estão caindo em descrédito. Cabe agora aos genuínos defensores da liberdade humana aproveitarem a oportunidade e apresentarem seus argumentos".

"Eis a única narrativa que raramente é ouvida: a esquerda se tornou inócua, e até mesmo uma presa fácil, pois não tem mais pensamento próprio; está morta do pescoço para cima. O único programa que ela tem a apresentar é a defesa daquela velha ordem que se resume a comandar, mandar e controlar. Consequentemente, qualquer figura pública minimamente convincente que seja um não-esquerdista é capaz de derrotar estes arautos do atraso e do totalitarismo — ou seja, a esquerda progressista de fato merece continuar perdendo eleições".

Fonte de Consulta: https://youtu.be/n0ew05gaeTE

Neste vídeo, Tarcísio Gomes de Freitas, Ministro da Infra-Estrutura, detalha o seu plano de trabalho para 2020: 44 leilões (não para arrecadar, mas para gerar investimentos, empregos). Dentre os leilões, 22 referem-se aos aeroportos. A Nova Dutra também foi mencionada. 

22 dezembro 2019

AI-5 e Frases da Esquerda

O Ato Institucional n.º 5 (AI-5) foi um decreto emitido no regime militar durante o governo de Artur da Costa e Silva no dia 13 de dezembro de 1968.

Hoje, falar em A5, tem uma enxurrada de mordaças.

Vejamos as frases abaixo:

"A gente tem que seguir o exemplo do povo do Chile e atacar." (Lula)
"Não há redenção sem sangue." (Benedita da Silva)
"Tem que fechar o STF." (Wadith Damous)
"Vamos fazer uma guerra civil." (CUT)
"Vamos incendiar o país." (MST)
"Vamos tomar o poder, o que é diferente de ganhar eleição." (José Dirceu)
"Estamos torcendo para que o Brasil vire um Chile." (Juliano Medeiros, presidente do PSol)
"A hora do Brasil vai chegar." (Humberto Costa, em referência ao que acontece no Chile)
"O povo quer violência revolucionária, o povo quer luta, está sedento de passar a faca em todos os seus inimigos." (representante da Liga dos Camponeses Pobres na Uerj)
"Quem tentar conciliar este país vai ser atravessado com um trator nas costas." (Vladimir Safatle)
"Com a direita e o conservadorismo, nenhum diálogo, Luta!" (Mauro Iasi)
"Isso implica ir para as ruas entrincheirados, de arma na mão." (Wagner de Freitas)

Nenhuma delas é um atentado contra a ordem?

Fonte: https://youtu.be/VCTowc-AWNk

18 dezembro 2019

Constituição Brasileira: Direita e Esquerda

Juíza (?) esclarece que a esquerda implantou na cabeça do brasileiro que houve ditadura militar entre 1964 e 1985. Acompanhemos o seu raciocínio.

A Constituição de 1946, em seu artigo 1.º diz que Todo o Poder Emana do Povo. Em 1964, teve a marcha das famílias pedindo intervenção militar já. Brasil exige: ordem e progresso. Isto permite que as Forças Armadas tomem conta do poder. Não houve golpe. Não teve ditadura.

A Constituição de 1967, feita por militares, deixa bem claro em seu artigo 1.º que Todo o Poder Emana do Povo.

A Constituição Cidadã de 1988, feita por comunistas, diz que Todo o Poder Emana do Povo através de seus representantes escolhidos. Significa que tiraram o poder do povo.

Forças Armadas são a única direita que temos no país. os outros todos são de esquerda: PSDB, PT, PDT...

De 1985 para cá só houve corrupção. Para que se coloque o país nos trilhos somente através dos militares, porque são a única direita que temos. Para eles, só existe uma coisa a ser respeitada no Brasil: a Constituição e o povo brasileiro.

Assista ao vídeo.




15 dezembro 2019

Rodrigo Silva Comenta "Censurado" da Revista Veja

Rodrigo Silva é teólogo pós-graduado em Filosofia, mestre em Teologia Histórica e especialista em Arqueologia pela Universidade Hebraica de Jerusalém. Doutor em Arqueologia Clássica pela Universidade de São Paulo (USP), professor do Centro Universitário Adventista de São Paulo (Unasp), curador do museu arqueológico Paulo Bork, e apresentador do programa Evidências, da TV Novo Tempo.

Ele faz uma crítica sobre a reportagem da Revista Veja que tem na capa o destaque "CENSURADO": Uma Nova Idade das Trevas. Começa dizendo que concorda com duas coisas dos articulistas da "Veja": 1) existe uma onda de imbecilidade coletiva: o ridículo, o tolo, o anticientífico, o primitivo; 2) existe uma censura no ar. Discorda: 1) quando eles dizem que a raiz dessa imbecilidade coletiva tem sido a religião e a religião/políticos conservadores; 2) quando o objeto da censura como sendo eles. O destaque do artigo da Veja: "Um Basta à Ignorância".

Critica a polarização entre religiosos e políticos conservadores, de um lado, e os cientistas, iluminados pela razão, do outro. É um falso dilema, pois há cientistas que são cristãos. Os articulistas insinuam que a ciência veio para tirar o mundo do obscurantismo. Esquecem-se de que os pioneiros da ciência eram todos religiosos. A ciência disse (não existe). O que existe são homens e mulheres que usam o método científico. A Igreja católica proíbe o uso de camisinha. Podemos não concordar, mas está correto, porque a Igreja católica é uma entidade, mas a ciência não. Não existe um vaticano da ciência.

No artigo, afirma-se que está havendo uma massificação religiosa da juventude. Se os articulistas tivessem razão, o topo da lista de livros seriam os conservadores e não os autores liberais. Em razão das principais buscas no Google, verifica-se que os jovens não estão consumindo religião, mas futilidade. Eles são Phd em cultura inútil: futebol, samba... Eles estão com a mente tão ocupada que não sobra espaço para as coisas substanciais.

Para mais informações, assista ao vídeo abaixo.

10 dezembro 2019

Nova Esquerda: Gramsci

Para E. J. Hobsbawm, "Gramsci foi um filósofo extraordinário, talvez um gênio, provavelmente o mais original pensador comunista do século XX na Europa Ocidental". Segundo Norberto Bobbio, "se excetuarmos os grandes protagonistas da revolução soviética, não há personagem na história do movimento operário cuja personalidade e obra tenham despertado maior interesse que Gramsci". L. Althusser, por sua vez, diz: "quem realmente tentou investigar as elaborações de Marx e Engels? Só consigo pensar em Gramsci". 

O uso moderno do termo "esquerda " deriva da Assembleia dos Estados Gerais de 1789, quando, na França, a nobreza sentou-se à direita do rei, e o Terceiro Estado, à sua esquerda. Hoje, esses termos são aplicados a facções e opiniões em toda ordem política.

Antonio Gramsci (1891-1937) foi um ativista político, jornalista e intelectual italiano, um dos fundadores do Partido Comunista da Itália. Formulou o conceito de hegemonia cultural para descrever o tipo de dominação ideológica de uma classe social sobre outra, particularmente da burguesia sobre o proletariado.

Desde cedo participou da ala esquerda do Partido Socialista. Em 1915, abandonou os estudos de Letras na Universidade de Turin para se dedicar plenamente à política e ao jornalismo. Na elaboração do programa dos conselhos de fábrica, a sua maior realização foi a greve geral de 1920. Preso em 1926, e condenado a 20 anos de prisão, começa, em 1929, a redação dos Quaderni (Cadernos de Cárcere). Cumpriu 12 anos da pena, mas tão logo foi solto, morreu quatro dias depois, devido aos maus tratos na prisão. 

Gramsci entendia o marxismo como uma filosofia da praxis. O seu objeto é a historicidade radical das coisas e eventos. O histórico, para Gramsci, está centrado no projeto político, e a historicidade tem relação com a prática política: a revolução. "A filosofia da praxis pretende ser um saber rigoroso de ordem historiográfico-hermenêutico sobre o passado e o presente da sociedade burguesa, ao mesmo tempo que um projeto militante de auto-realização, existindo na forma da luta política" (1).

A valoração atual de Gramsci como pensador de esquerda, e a inclusão de suas obras em  milhares de cursos universitários, como teórico político, revolucionário, crítico cultural e filósofo – "não é o resultado de uns poucos artigos acadêmicos, mas de um amplo movimento de aprovação, uma espécie de ânsia por orientação moral e intelectual, que destacou Gramsci como seu objeto, e que aderiu a ele desde então. Gramsci é a criação dos anos 1960, o símbolo de uma geração ávida por liderança, mas confiante somente naqueles que estavam seguramente mortos – preferivelmente mortos, como Gramsci, na interminável luta contra o inimigo "fascista"" (2).


(1) Enciclopédia Luso-Brasileira de Filosofia. 
(2) SCRUTON, Roger. Tolos, Fraudes e Militantes: Pensadores da Nova Esquerda. Tradução de Alessandra Bonrruquer. 3. ed., Rio de Janeiro: Record, 2018, capítulo 7. 


09 dezembro 2019

Agricultura e Pecuária Sustentáveis

A doutora Mariana, da equipe da ministra da agricultura Tereza Cristina, apresentou dados sobre a sustentabilidade de nossa agricultura. Disse que nos últimos 40 anos o efeito poupa terra teve um ganho de 150 milhões de hectares.

Lembrou-nos do Plano ABC, ou seja, das estratégias para produzir alimentos mais baratos e de maior qualidade, agricultura de baixa emissão de carbono, resultado de 50 anos de pesquisa.

Recuperação de pastagens degradadas e integração lavoura-pecuária.

Mostrou que o trabalho do pecuarista equivale ao produtor de soja. Ele tem que melhorar a matéria prima do boi, ou seja, a pastagem.

Comparando: na área que ficou sem tratamento, o custo de produção é R$ 160,00 por arroba; na área que houve o cultivo da pastagem, o custo pode cair para R$ 70,00.

A meta para 2020 era recuperar 15 milhões de hectares. Só em pastagem já foram recuperados 32 milhões de hectares (213%).

Três safras por ano na mesma área: soja, milho e pastagem.

Conclusão

1. O agronegócio brasileiro não precisa da Amazônia.

2. Aumentar a produção, via aumento da produtividade em áreas já abertas, produz alimentos de maior qualidade e com menor preço. Gera mais renda para o produtor.

3. O Brasil é a maior potência Agroindustrial do mundo.

Para mais informações, assistir ao vídeo em:

https://www.youtube.com/watch?v=O5flqK2CjjA


06 dezembro 2019

Paula Marisa Entrevista Abraham Weintraub

Paula Marisa, professora de educação física, entrevista Abraham Weintraub (Ministro da Educação do Governo Bolsonaro). Nessa conversa, de quase uma hora, abre espaço para o ministro tecer comentários sobre sua atuação frente a esse ministério, muito importante para o desenvolvimento do nosso país que, infelizmente, está colocado em um dos últimos lugares na avaliação do Pisa.

O Pisa  Programa Internacional de Avaliação de Alunos – é uma avaliação internacional que mede o nível educacional de jovens de 15 anos por meio de provas de Leitura, Matemática e Ciências.

O exame é realizado a cada três anos pela OCDE (Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico), entidade formada por governos de 30 países que têm como princípios a democracia e a economia de mercado. Países não membros da OCDE também podem participar do Pisa, como é o caso do Brasil, convidado pela terceira vez consecutiva.

objetivo principal do Pisa é produzir indicadores que contribuam, dentro e fora dos países participantes, para a discussão da qualidade da educação básica e que possam subsidiar políticas nacionais de melhoria da educação. (Extraído de)

Observe, nessa conversa, o pensamento de Weintraub sobre o movimento de esquerda:


  • O movimento de esquerda é uma espécie de religião. Com seus adeptos, não se tem discussão honesta e racional.
  • Como religião, tem diferentes seitas.
  • A mais tradicional é a stalinista, velhona, sindicalista, que está perdendo espaço.
  • Outra vem de Gramsci, pensador italiano que pregava a tomada das escolas e dos jornais. Não precisa de revolução, pois o socialismo é implantado vagarosamente.
  • Há a fabiana, referindo-se a Fernando Henrique Cardoso, como símbolo de tartaruga – ainda mais suave.
  • Há, também, a seita raivosa e recente, que é a escola de Frankfurt. Daí, o MST e Boulos...
  • Ele lida com Gramsci, enfatizando dois efeitos colaterais: renda e estrutura.
Vídeo tirado do ar.



02 dezembro 2019

Alguns Feitos do Governo Bolsonaro

Os índices de inflação, juros, Ibovespa, Pib e risco-país vêm melhorando substancialmente neste primeiro ano do governo Bolsonaro.

De janeiro a outubro, o Brasil criou 841,5 mil empregos formais. O resultado é 6,5 % maior que o registrado no mesmo período de 2018, e já representa o melhor índice nos últimos 5 anos.

Aprovou a MP do pente-fino do INSS, que identifica irregularidades no setor, podendo gerar economia de R$ 10 bilhões ao país.

Iniciou a construção de colégios militares, tendo por objetivo um por cada estado até o fim do mandato.

Junto ao Ministério da Economia, vitória inicial no caso de descentralização de energia, iniciando o processo de privatização e barateamento do consumidor.

Iniciou o processo de digitalização de documentos do estado.

Extinguiu centenas de conselhos de administração pública.

Na Lei Rouanet, o foco está no pequeno artista.

Expandiu a internet para milhões de estudantes.

Ganha apoio dos EUA e Israel para a entrada na OCDE, bloco de cooperação mútua com as maiores economias do mundo.

Redigiu a MP que altera a cobrança da taxa sindical, deixando-a de ser obrigatória.

Prosseguiu o decreto que aplica critério de Ficha Limpa para nomeação de cargos

Para mais informações, assista ao vídeo