11 novembro 2011

Livro Impresso Versus E-readers

O surgimento dos meios eletrônicos, principalmente dos e-readers, com capacidade de carregar dentro de si uma biblioteca inteira, despertou a ideia de que o livro impresso iria se acabar, sendo substituído pelo e-reader. Isso, porém, não ocorreu, e o mercado do livro impresso continua mais pungente do que nunca. Há razões para tal fato.

1) Os e-readers são caros, comparativamente aos livros impressos. Além disso, deve ser trocado a cada 2 ou 3 anos, devido às novas tecnologias. O livro, em regra, dura muito mais tempo.

2) Os e-readers não podem ser molhados, não podem ser carregados para uma praia. Os livros podem suprir essas deficiência.

3) Os e-readers levam uma biblioteca dentro de si. Para que serve isso, se o seu proprietário não irá ler todos os livros armazenados?

Conclusão: os e-readers são meios, complementos aos livros impressos. Eles servem para fins de informação. Exemplo: consulta rápida numa viagem de avião. Para nos aprofundarmos em alguns assuntos, o livro impresso torna-se obrigatório.

Em síntese: a tecnologia dos e-readers vem para auxiliar, não para tomar o lugar do livro impresso.

Para mais informações, consulte O Futuro do Livro Impresso e as Editoras, por Plínio Martins Filho, no livro Revista do Núcleo de Estudo do Livro e da Edição.

Nenhum comentário: