23 setembro 2015

Modesto Carvalhosa Fala sobre Corrupção na TVeja

Modesto Carvalhosa, especialista na lei anti-corrupção, é entrevistado por Joice Hasselmann, da TVeja. Ele afirma que o governo é obtuso e agiu com má-fé ao colocar a estatal como vítima do esquema de corrupção ao invés de reconhecer os erros, impedindo assim que a empresa se recupere no mercado externo. "Empresa pública não é vítima, é instrumento para pilhar os cofres públicos."

Começou dizendo que a corrupção sempre houve no Brasil e em qualquer parte do mundo. Mas, o governo patrocinar a corrupção é uma invenção brasileira. Tudo começou a partir de 2003, quando Lula assumiu o governo. Havia captação de recursos para o partido do governo e aos partidos aliados. O mensalão foi o balão de ensaio para outros "ãos". 

O governo petista fundamenta-se na propaganda enganosa. João Santana é o Goebbels brasileiro: "repita uma mentira mil vez que ela se tornará uma verdade". Dizer que o governo federal combate a corrupção é a maior mentira. Só pode haver acordo de leniência com a primeira empresa que resolver delatar. Fazendo isso para todas, torna-se um simulacro. 

O problema: a corrupção está desorganizada e os petistas estão furiosos. A corrupção é um dos maiores desastres da humanidade: dinheiro que sai não é amortizado. As obras nunca são entregues. 

O governo quer que pensemos que a lava jato é responsável pela crise econômica. Quer nos vender que a Petrobrás é vítima. Vítima de quê? Foi organizada para isso. Ninguém durante esses 10 anos não soube de nada? Sem a Petrobrás não haveria o petrolão. 

Crime sem castigo é uma tragédia para o criminoso. 

Além das medidas de denúncia, delação, acha que o que poderia eliminar a corrupção é a aplicação do Performance Bond, uma seguradora no meio do governo e das empresas. Nos Estados Unidos, funciona desde 1897. 




Nenhum comentário: