09 novembro 2016

Queda da Bastilha


Bastilha. Forte de tamanho reduzido. Por extensão, fortaleza de qualquer dimensão e, mais especificamente, prisão. Na Monarquia Francesa, antiga prisão onde eram confinados os presos políticos, inimigos do Regime Absolutista. A queda da Bastilha, que ocorreu no início da Revolução Francesa de 1789, é um marco histórico na luta contra o poder absolutista que vigorava na Europa daquela época.

A invasão da fortaleza pelo povo de Paris deu-se em 14 de julho de 1789, que é a data para marcar as comemorações da Revolução Francesa. A invasão tinha por objetivo: a) resgatar as armas que havia no seu interior; b) ocupar um dos expoentes máximos do absolutismo; c) mostrar que a força estava com a população e não apenas com o grupo de deputados que pretendia modificar o regime através de leis.

Quais são os antecedentes históricos? Após a queda do Império Romano no Ocidente, em 476, ocorre uma descentralização do poder e uma volta à economia de subsistência, que se estendeu até o seculo XII. Depois, surgiu o Absolutismo, que foi uma vigorosa centralização do poder sob a proteção do direito divino. 

O fundamento básico da queda da Bastilha é a Revolução Francesa. As causas da Revolução Francesa podem ser divididas em: sociais, intelectuais, econômicas e financeiras. A História nos mostra que o reinado dos Bourbons era mal administrado, a moeda perdia o valor, os aumentos de salário da classe pobre não acompanhavam o aumento do custo de vida. Dentre as causas, as intelectuais tiveram um peso enorme, pois lá havia os enciclopedistas que incitavam no seio do povo francês os princípios de liberdade.

O professor Milton Meira do Nascimento, em seu livro Opinião Pública e Revolução, descreve a influência do grupo de intelectuais, composto por Bonneville, Fauchet e Mercier, denominado Círculo Social, que se apropriou das ideias de Rousseau, principalmente aquelas contidas em seu Contrato Social. Seria como que colocar em prática a teoria ali exposta. Acham que a alguns "homens esclarecidos" são dados a possibilidade de descobrir a verdade e o dever de revelá-la à população menos esclarecida.

O Contrato Social, de Rousseau, retrata o Estado ideal alicerçado na vontade geral, onde cada um, através de um pacto social, cede, de si, para a felicidade da nação.




Nenhum comentário: