28 julho 2017

Multiculturalismo

O movimento denominado "multiculturalismo" ocorreu nos Estados Unidos e teve por objetivo a elevação e a valorização de meios formativos étnicos diferentes, enaltecendo uma maior tolerância entre pessoas de sexo e culturas diversas. O movimento em si é positivo, embora tenhamos de conviver com o "inclusivismo", fruto das ideias do politicamente correto.

O multiculturalismo só se solidificou depois da vinda do Iluminismo, com a sua moralidade universal e a igualdade racial e sexual. O Iluminismo incentivava as pessoas pensarem com a própria cabeça, como bem retratou Kant no seu sapere aude!, ou seja, "ouse saber", "tenha coragem de pensar por si mesmo!". Saia de sua minoridade intelectual. 

A grande dificuldade da aplicação do multiculturalismo é que todos nos levamos conosco um baú. Antes do Iluminismo, a religião ditava as normas, o modo de agir, a moral. Depois, desligados da religião, criou-se um outro tipo de crença, que é o "inclusivismo" da raça, da cultura. Qualquer olhar contrário, aplica-se a pecha de racista.  

Os contatos culturais são muito importantes, pois cada um pode aprender com as culturas do outro, desde que não haja uma manipulação por parte dos países mais desenvolvidos. Mas, mesmo que isso ocorra, a influência nuca será uma rua de mão única, pois é sumamente difícil não nos influenciarmos mutualmente.

Somos uma individualidade que pertence ao todo, ou seja, à humanidade. Por mais que se queira esconder um talento, mais ou menos tempo ele vem à tona. Observe Jesus. Quem poderia prever que um carpinteiro teria toda essa repercussão sobre uma grande parte dos seres humanos?

Não nos esquivemos das verdades inconvenientes. Derrubemos os muros que estão nos impedindo de ver a realidade como ela é.  

Fonte de Consulta


SCRUTON, Roger. Como Ser um Conservador. Tradução de Bruno Garschagen.  4. ed., Rio de Janeiro: Record, 2016. 

Nenhum comentário: